Recuperando Dados de Disquetes Antigos


#1

Recentemente fui à casa dos meus pais (onde morei por muitos anos) e encontrei uma caixa de disquetes de uns 15 a 20 anos atrás. Usei um computador antigo com uma distro GNU/Linux qualquer pra ler o conteúdo dos disquetes. Tentei montar direto o /dev/fd0 e tive alguns problemas de I/O Error. Então passei a usar o comando dd para gerar imagens dos discos, na esperança de que mesmo que corrompidos, uma parte dos dados pudesse ser lida e resgatada a posteriori.

Não adiantou muito. Mesmo com o dd, a leitura da imagem de disco é interrompida antes do final com erros de I/O. Algumas das imagens de disco corrompidas eu pude montar usando o “mount -o loop”. E com isso eu até consegui resgatar algumas coisas legais desses disquetes como, por exemplo, alguns arquivos MIDI eu eu mesmo gravei usando o teclado musical Technics KN5000, por volta de 1998. Achei também alguns programas educacionais do Colégio Bandeirantes. Nos casos em que consegui ler discos sem erros, subi as imagens de disco resultantes no Internet Archive. Um exemplo é essa aqui:

Achei também um programa da Ford, feito no final da década de 80, que era um guia de compra dos modelos de carros da marca naquele ano e tinha também um simulador de corrida. O legal desse é que, por ser de MSDOS, dá pra rodar no DOSBOX compilado para bytecode javascript e hospedado no Internet Archive (é só pressionar o botão “on/off” e esperar o emulador carregar no browser no link abaixo):

Já os programas educacionais do Colégio Bandeirantes ficaram apenas hospedados no Internet Archive, mas sem emulação por que são programas de Windows (se não me engano rodava no Win95) e isso ainda não é suportado via emulação dentro do browser. Quem sabe algum dia alguém não adapta o Wine ou até mesmo um MAME rodando emulação de um Pentium com Windows dentro do browser? Por enquanto acho que ainda não rola…

Enfim… tenho ainda alguns outros disquetes que potencialmente possuem pedacinhos importantes da minha história pessoal e que, se possível, eu gostaria de recuperar, mas estou encarando muitos erros de I/O. Cheguei a desconfiar do drive leitor de disquetes que poderia estar sujo. Comprei um drive externo de floppy USB (que é bem legal pois me libera de ter que ficar usando aquela máquina velha) mas os erros de I/O persistem, então os discos estão mesmo corrompidos. Só espero que uma parte dos dados ainda seja resgatável por um programa/driver mais tolerante que não jogue a toalha ao se deparar com o primeiro sinal de irregularidade no disco.

Alguém conhece alguma técnica boa de tirar uma imagem de um disco corrompido usando algo além do comando dd ? Eu tenho forte preferência por soluções baseadas em software livre pois eu gosto de entender o que está acontecendo e poder intervir caso a solução deixe a desejar :slight_smile:

Mas de todo modo estou aberto a toda e qualquer dica de como dar uma terceira chance para o resgate desses (e outros) disquetes.

Happy Hacking,
Felipe “Juca” Sanches


#2

Anos atrás trombei com esse vídeo:
https://www.youtube.com/watch?v=mmTA9SH_VKk

Esse cara construiu esse robô pra copiar todos os discos de Amiga dele, um sumário sobre o projeto pode ser encontrado aqui, mas eu não consegui achar nada sobre a parte do software, como ele faz pra copiar o conteúdo dos discos.

Outra coisa, você tem alguma experiência extraindo dados de fitas cassete? Ainda tenho vários jogos de CP 400 nelas.


#3

Se forem discos de 5 1/4, dá para abrir eles (com cuidado) e lavar em água corrente mesmo (pode até dar uma lavada com sabão neutro - mas nada de ‘esfregar’ hehehe). Deixa secar, fecha de novo e se maravilhe com discos que antes não liam voltando a vida! :slight_smile:

Queria eu ter um drive de 5 1/4 funcionando. Tenho toneladas de disquetes de MSX que queria tentar dumpar de novo :confused:

Agora, possíveis problemas de leitura podem ser disquetes com mofo, cabeçote de leitura do drive com poeira - ou mesmo o drive estar desalinhado, esse último um parto para ajustar (e eu nos anos 80 conseguia fazer isso na mão!)

Para dumpar, ‘dd’ é bom o suficiente. Se o programa tiver algum tipo de trava, tem para DOS o antigo CopyQM, que era uma mão na roda. E você pode tentar também copiar direto os arquivos pelo DOS, o ®etry já fez maravilhas aqui :slight_smile:

Em última instância, ainda rola tentar rodar um ‘norton disk doctor’ para tentar salvar o que der do disco. Na época do DOS, Norton ainda fazia bons produtos…