Restaurando meu AtGames Sega Gopher (ou, MD Play)


#1

Inspirado pela recente descoberta de dois patches para melhoria do som e compatibilidade com games do Mega Drive desenvolvidos para este pequeno portátil, resolvi retirar a poeira do meu, que se encontrava “encostado” no fundo de um baú de “tranqueiras eletrônicas” por 5 anos (ou mais).

A história minha com esse bichinho data desde 2009; nessa época, havia me mudado para a Inglaterra (de mochilão nas costas) e tinha acabado de conseguir meu primeiro emprego como programador em uma “firmeca” em Newbury. Achei esse pequenino em oferta no eBay, pois estava sendo lançado mundialmente. Me dei de presente de aniversário esse consolezinho, que foi para mim uma maravilha (se ao menos eu já imaginasse que, menos do que uma década se passaria para que já existisse a possibilidade de se montar verdadeiros arcades portáteis usando um RPi, uma telinha LCD barata e controles de arcade “zero delay”…)

Enfim, depois de carregar o SD “enferrujado” com os bootloaders (russo e do Neto) e fazer as alterações nas pastas, consegui fazê-lo rodar novamente. A primeira coisa que notei, foi logo de cara a bateria dele, que se esvaiu (entrou em “deep discharge”), fato sinalizado pelo seu “estufamento”. A seguir, percebi que ambos os botões do topo, MENU e START, já não estavam dando contato direito (necessário pressionar com excessiva força para conseguir acionar as suas respectivas funções). Então chegou a hora de tomar uma decisão: jogar fora ou partir para a restauração. A escolha foi bastante óbvia, uma vez que já se tornou claro que esse bichinho é parte da história da minha vida e evolução como profissional (vixe, será?? Humm…).

Enfim, vamos lá.


#2

Prestes a iniciar o processo de restauração desse bichinho, esquecido por anos no fundo de uma caixa.


#3

Bateria levemente “estufadinha”. Ummm, nunca um bom sinal… :unamused:
De cara já sei que preciso encontrar um substituto equivalente - Essa NP-60 já “Helvis”… :worried:


#4

Aberto! Com a ajuda do bom e velho “abridor de case de celular” :grin:


#5

Close-up da versão dessa mobo…


#6

Temporariamente removi os fios do AF (pois eles são sempre a primeira coisa que se solta…)
(que TR seria aquele ali hein…?? :thinking:)


#7

Que nojinho essa solda escorrida né? Deixa eu limpar essa “cagadinha”… :grimacing:
(olha o espaço pro TR lá de novo… Humm… :thinking:)


#8

Melhorou né? O problema nesse console é com os botões MENU e START, que já não estão dando o devido contato. Pudera, olha lá no topo como fizeram! Atari 2600 joystick-style… afff! :confounded:

(queria saber pra que serviria aquele TR… :thinking:)


Acabei de ver mais um…


Documentando: Q1


Documentando: Q12


#9

Botão start removido. Pensando em instalar no lugar dele, um interruptor tátil (switch), assim:


#10

Com o auxílio do multímetro (em modo continuidade), foram identificados possíveis pontos de contato para o interruptor (o qual naturalmente, necessitará que sejam soldados fios na PCI).


Detalhe da soldagem do interruptor; os pinos do lado de baixo foram cortados enquanto que os do lado de cima dobrados para cima. Um terminal foi soldado diretamente no ponto de contato do sinal (vide foto anterior); por enquanto ainda falta soldar um pedaço de fio ligando o terminal solto a um ponto de terra (GND) mais próximo.

Essa etapa fica para depois; pois como eu já esperava, serão necessários alguns ajustes mecânicos, a fim de compensar a diferença na altura entre o topo do interruptor e a parte inferior da “capinha” do botão, que fica presa ao interior do case plástico. Este é um trabalho para a Dremel…


(Só que tudo isso vai ficar para depois - agora é hora de :pizza:+:beer:+:tv:… pois ninguém é de ferro!! :stuck_out_tongue_winking_eye:)


#12

Voltando aos reparos…

Detalhe do botão MENU (lado esquerdo do console), já aplicada a cola quente (salva-pátria) e soldado um terminal do interruptor tátil ao GND da placa.


Detalhe do botão PLAY (lado direito do console), também colado e com um dos terminais já soldado ao GND da placa.


Para soldar o terminal GND dos interruptores, o que não faltava era lugares próximos; foi moleza:
  1. Raspar um pedacinho do esmalte verde do GND próximo ao contato original,
  2. Soldar o terminal do interruptor direto na parte raspada com o cobre exposto;
  3. Aplicar cola quente e em seguida, com a ponta quente do ferro de soldar, ir amoldando a cola em torno do interruptor.

Esta última etapa gera um benefício adicional, pois a cola quente é feita de um composto à base de parafina, e seu resíduo acaba criando uma camada de proteção em torno da ponta do ferro de soldar.

Eu achava que essa seria a parte mais difícil. :smirk: Porém, só me levou 40min fazer os dois lados… :sweat_smile:

Já em contrapartida, para soldar o sinal de cada botão… :weary: não há sequer um ponto intermediário de solda; o sinal sai do contato central (veja detalhe abaixo, sinalizado em vermelho):

e segue através de uma trilha finíssima (junto a várias outras trilhas finíssimas - as quais só de olhar, me deu calafrios :weary:); até para raspar o esmalte verde que recobre a trilha - sem descobrir trilhas vizinhas e nem interromper a trilha por excesso de raspagem - vai ser preciso usar um “bisturi” e lente de aumento - mesmo com o estilete em mãos eu senti medo de arriscar.

E essas trilhas vão direto para o “blob” do microcontrolador:

(Pensando em soldar fio direto no pino do CI, tolinho?? :confounded:)

Inclusive, o fio que eu for utilizar vai precisar ser extremamente fino (imagine um fio do tipo que é usado nesses fones de ouvido “in-ear”, de cobre esmaltado) - não dá para sequer cogitar de um outro tipo.

Eu confesso que estou com receio de seguir adiante (pelo menos não sem ter a mais absoluta certeza de que estou fazendo a coisa certa). Qualquer deslize é fatal :fearful:

Pensando nas considerações acima, decidi dar um tempo por enquanto nessa parte. Amanhã devo dar um trato na parte mecânica - com a ajuda da Dremel, pretendo abrir um pouco as “capas” plásticas originais dos botões (que ficam presas à parte interna do case) por baixo, a fim de dar mais folga para que os novos botões não fiquem comprimidos na hora de fechar o case.


Nesse meio tempo...

Essa bateria me pareceu ser compatível com a que originalmente veio no console. Resta aguardar a chegada e tirar a prova. :neutral_face:


#13

Bom…

Após iniciado o trabalho com a Dremel, fui testando durante os vários estágios, para sentir se os botões iriam se encaixar sem forçar o case.
Três horas se passaram, e a Dremel deu lugar à lima… continuando a testar, ainda sem sentir o encaixe do botão dentro do case…

Ficou assim:


E com tudo isso, ainda assim os interruptores não “cabiam” dentro do case:

(Apesar de parecer, eles não estão alinhados o suficiente para passarem através da parede do case, o que impede na hora de fechar a PCB da mobo dentro do case.)

Apesar de todos esses contratempos, não desisti. Acho que com um pouco mais de trabalho dá para se conseguir o resultado esperado. Depois tem a questão do acabamento final - mas isso fica para uma próxima…


Para minha alegria, comprei esse lindo ítem:



Como se pode ver (pela última imagem), ele consegue rodar ROMs de Mega Drive, Master System, Super NES, NES, Game Boy Advance / Game Boy Color. E já vem com 500 ROMs na memória (e não são jogos “bobos”, tem todos os meus favoritos do Mega Drive!) - fora isso, continua sendo possível colocar mais ROMs em um cartão SD, e além disso, também permite carregar ROMs na memória interna, através do cabo USB! :astonished:

Também acredito que esse console não tenha os problemas que havia no anterior (som defeituoso, alguns ROMs eram incompatíveis), pois pelo review isso me pareceu ter sido solucionado, sem necessitar da ajuda de “patches”:

(Review em russo - não existem reviews em inglês, pois esse consolezinho foi lançado apenas na Rússia).


#14

Essa bateria que vc comprou deu certo?